O meu gato, que não sai de casa, pode contrair parasitas internos?

Partilhar

Ainda que o seu gato nunca saia de casa, também corre o risco de contrair parasitas. Por esse motivo, a administração de um tratamento antiparasitário regular é essencial para que o seu gato se mantenha saudável e livre de parasitas.

Muitos gatos gostam de deambular pelo exterior da casa, enquanto que outros passam todo o dia dentro de casa. Se o seu gato não é um explorador nato que disfrute da caça aos ratos, ou que interaja com outros animais, talvez se questione se a infestação de parasitas internos, comummente conhecidos como vermes, será um tema que o deva preocupar.  

A resposta é sim. Infelizmente, mesmo os gatos que nunca saem de casa para o exterior, correm o risco de contrair parasitas internos, como ténias, nemátodes, ancilostomídeos e parasitas do coração e pulmão.  

 

Parasitas internos que podem infetar um gato de casa 

Ténias 

As ténias (céstodes) são parasitas compridos e segmentados, que habitam dentro do intestino delgado dos animais infestados. O aparecimento de ténias em gatos pode verificar-se de várias formas, mas a mais habitual é por ingestão de pulgas infestadas. Ainda que o seu gato nunca saia para o exterior, as pulgas podem introduzir-se em sua casa através da sua roupa, através de outros animais de companhia ou de pessoas que os visitem. Ao se lamberem para limpar o seu pêlo, os gatos ingerem sem dar por isso as pulgas presentes na sua pelagem, o que pode conduzir a uma infestação por ténias.  

Nemátodes 

Os nemátodes são outro tipo de parasitas intestinais cuja infestação em gatos de interior é difícil de evitar. Os nemátodes são parasitas brancos, com um aspeto que faz lembrar o esparguete, e habitam dentro do intestino delgado, onde põem milhares de ovos por dia.  

O meu gato, que não sai de casa, pode contrair parasitas internos?

Os ovos de nemátodes podem chegar a casa através dos sapatos ou da roupa, e se o seu gato os ingere por acidente, pode contraí-los. Os nemátodes também podem transmitir-se aos gatinhos através do leite materno, sendo possível que um gato jovem já esteja infetado antes de o levar para casa. 

Os nemátodes também podem transmitir-se através da caça, e por isso, se o seu gato de interior captura uma lagartixa ou um roedor que estejam numa varanda ou pátio da casa, corre o risco de contrair estes parasitas. Também os gatos podem contraí-los através da ingestão de carne crua na sua dieta.  

 Ancilostomídeos 

Os ancilostomídeos são pequenos parasitas intestinais que se alimentam de sangue e que fazem parte da família dos nemátodes. Habitam dentro dos intestinos dos gatos e podem causar-lhes graves problemas de saúde se conseguem reproduzir-se de forma abundante. Os gatos de interior geralmente contraem este tipo de parasitas intestinais ao caçar alguma lagartixa ou roedor, ou quando ingerem dietas com carne crua.  

 Parasitas do pulmão 

Animais pequenos como lagartixas e roedores, assim como caracóis ou babosas que entrem em casa através das plantas, também podem fazer com que o seu gato se infeste de parasitas do pulmão, pequenos parasitas internos que habitam nos pulmões dos gatos e lhes causam danos. 

 Parasitas do coração 

Os parasitas do coração são parasitas de grande tamanho que habitam dentro do coração e dos principais vasos sanguíneos dos gatos. Uma só picada de um mosquito infestado basta para transmitir este tipo de parasitas internos potencialmente fatais para os gatos.  

 Como tratar os parasitas internos, comummente denominados por vermes, presentes nos gatos 

Se o seu gato contrai parasitas internos, o médico veterinário aconselhará a escolher as diferentes soluções que há no mercado, tendo em conta as características e o estilo de vida do seu gato. As principais variações que existem entre os tratamentos antiparasitários internos são: a apresentação (comprimidos, pipeta, etc.), a frequência de administração e/ou aplicação (mensal, trimestral, etc.) e o espectro de parasitas sobre os quais tem efeito. Devido a estas diferenças, é muito importante contar com a ajuda especializada do seu médico veterinário.  

Partilhar